VISGRAAT 2015

Excerto do texto de catálogo da critica de arte Maria João Fernandes

"Raras vezes neste longo périplo me deparei com a surpresa, a originalidade, a força criativa e a autenticidade pulsional do percurso da jovem Nádia Duvall (...)Metáfora da pele de um corpo presente e ausente, insustentável leveza que apela ao devir da consciência (...) com a sua experiência de sofrimento, os seus diários de esquissos e retratos, os seus perturbadores heterónimos, a sua biografia invulgar, é irmã de Frida Khalo, não apenas por isso, mas sobretudo porque foi capaz de criar uma arte no feminino que é a expressão mais profunda desse mesmo feminino, do seu poder de dar à luz, de arrancar às trevas o sono da matéria transformando-a na exaltante aventura do espírito. (...)" VISGRAAT é "(...) Corpo de dor, de incisões, atravessado por formas que rasgam a sua inocência, a sua lisura, a sua beleza. Formas esculpidas intimamente azuis que transformam estas peças em pinturas/objeto num sábio jogo de opacidades e de transparências com veios e delicadas nuances de cor, aberturas e rasgões, marcas na “pele” (...)"

FULL TEXT IN LINK BELLOW (ENG - PT)
https://aboutnadiaduvall.wordpress.com/2018/10/26/luz-da-noite-a-criacao-de-nadia-duvall/